Aprendendo com o Professor Pasquale

on quinta-feira, 14 de julho de 2011


Eu falava assim... 

APRENDA O CORRETO


 com o Prof.  Pasquale.

HOJE É DOMINGO PÉ DE CACHIMBO... e eu ficava imaginando como seria um pé de cachimbo, 
quando o correto é: HOJE É DOMINGO PEDE CACHIMBO... Domingo é um dia especial para relaxar 
e fumar um cachimbo ao invés do tradicional cigarro (para aqueles que fumam, naturalmente...).

Muito legal esses de baixo. Eu não conhecia essas armadilhas da língua, exceto pelo "Batatinha quando
 nasce..." e " Cuspido e Escarrado".

Eu falava assim.... APRENDA O CORRETO:

E a gente pensa que repete corretamente os ' ditos populares'
Dicas do Prof. Pasquale:

No popular se diz: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bichocarpinteiro' "Minha grande

 dúvida na infância... 
Mas que bicho é esse que é carpinteiro, um bicho pode ser carpinteiro???"
Correto: 'Esse menino não pára quieto, parece que tem bicho no corpo inteiro'
 "Tá aí a resposta para meu dilema de infância!"  EU 
NÃO SABIA. E VOCÊ?

Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão.'
Enquanto o correto é: ' Batatinha quando nasce, espalha a rama pelo chão.'
 "Se a batata é uma raiz, ou seja, nasce enterrada, como ela se esparrama pelo chão
se ela está embaixo dele?" 

'Cor de burro quando foge.' 
correto é: 'Corro de burro quando foge!'"Esse foi o pior de todos!
Burro muda de cor quando foge??? Qual cor ele fica??? Porque ele muda de cor???"  

Outro que no popular todo mundo erra:'Quem tem boca vai a Roma.'
"Bom, esse eu entendia, de um modo errado, mas entendia!
 Pensava que quem sabia se comunicar ia a qualquer lugar!"  O correto é: 'Quem tem boca vaia Roma.' 
(isso mesmo, do verbo vaiar).

Outro que todo mundo diz errado,
'Cuspido e escarrado' - quando alguém quer dizer que é muito parecido com outra pessoa. 
correto é: 'Esculpido em Carrara.' (Carrara é um tipo de mármore)

Mais um famoso.... 'Quem não tem cão, caça com gato.' "Entendia também, errado, 
mas entendia! 
Se não tem o cão para ajudar na caça o gato ajuda! Tudo bem que o gato só faz o que quer, mas vai que
 o bicho tá de bom humor!"
correto é:'Quem não tem cão, caça como gato.... ou seja, sozinho!'  Vai dizer que você falava
 corretamente algum desses????



  ­­

O que um filho diz em relação à sua mãe.

on quinta-feira, 7 de julho de 2011



Aos...


3 anos: "Mãe, amo-te."
11 anos: "Mãe, não me chateies."
16 anos: "A minha mãe é ...tão irritante."
18 anos: "Eu quero sair de casa."
25 anos: "Mãe, tinhas razão."
30 anos: " Eu quero voltar pra casa da minha mãe."
50 anos: "Eu não quero perder a minha mãe."
70 anos: "Eu abriria mão de TUDO pra ter minha mãe aqui comigo."

Só temos 1 mãe. Jamais se esqueça disso!!!

Jeitos de amar.

on terça-feira, 5 de julho de 2011


Adélia Prado

  
Uma personagem põe-se a lembrar da mãe, que era
danada de braba, mas esmerava-se na hora de fazer
dois molhos de cachinhos no cabelo da filha, para
que ela fosse bonita pra escola.
 
"Meu Deus, quanto jeito que tem de ter amor".
É comovente porque é algo que a gente esquece:
milhões de pequenos gestos são maneiras de amar.
Beijos e abraços são provas mais eloqüentes,
exigem retribuição física, são facilidades do corpo.
 
Porém há diversos outras demonstrações mais sutis.
 
Mexer no cabelo, pentear os cabelos, tal como
aquela mãe e aquela filha, tal como namorados
fazem, tal como tanta gente faz: cafunés.
Amigas colorindo o cabelo da outra, cortando
franjas, puxando rabos de cavalo, rindo soltas.
 
Quanto jeito que há de amar.
Flores colhidas na calçada, flores compradas, flores
feitas de papel, desenhadas, entregues em datas
nada especiais: "lembrei de você".
É este o único e melhor motivo para azaléias,
margaridas, violetinhas.
 
Quanto jeito que há de amar.
Um telefonema pra saber da saúde, uma oferta de
carona, um elogio, um livro emprestado, uma carta
respondida, uma mensagem pelo celular, repartir o
que se tem, cuidados para não magoar, dizer a
verdade quando ela é salutar, e mentir, sim, com
carinho, se for para evitar feridas e dores
desnecessárias.
 
Quanto jeito que há de amar.
Uma foto mantida ao alcance dos olhos, uma
lembrança bem guardada, fazer o prato predileto de
alguém e botar uma mesa bonita, levar o cachorro
pra passear, chamar pra ver a lua, dar banho em
quem não consegue fazê-lo só, ouvir os velhos,
ouvir as crianças, ouvir os amigos, ouvir os
parentes, ouvir.
 
Quanto jeito que há de amar.
Orar por alguém, vestir roupa nova pra
homenagear, trocar curativos, tirar pra dançar, não
espalhar segredos, puxar o cobertor caído, cobrir,
visitar doentes, velar, sugerir cidades, filmes, cds,
brinquedos, brincar...
 
Quanto jeito que há.