Da indigência ao fausto.

on terça-feira, 12 de maio de 2009


Veem-se às vezes pessoas que, pobres, e mesquinhas, parecem despertar, passando subitamente da indigência ao fausto, fazendo despesas de todo tipo, tornando-se de repente luxuosas, pródigas e magníficas. Isso é efeito de alguma quantia embolsada; o dia de algum pagamento que teria sido ontem. Aquela jovem recebera todo o seu semestre.


(Victor Hugo em "Os miseráveis" - vl. 1, pág. 669 - Martin Claret)