Grandes perguntas - o abridor de latas da consciência.

on terça-feira, 1 de setembro de 2009


(...) A maioria das grandes descobertas e revelações caras à nossa sociedade foi produto de perguntas.

(...) Perguntas são a única forma de chegar lá - do outro lado do desconhecido.


Por que fazer uma grande pergunta? Perguntar é um convite à aventura, a uma viagem de descobrimento. Partir para uma nova aventura é emocionante; há o profundo encantamento da liberdade, a liberdade de explorar um território novo.

Então, por que não fazemos essas perguntas? Perguntar abre a porta para o caos, o desconhecido e o imprevisível. No momento em que fazemos uma pergunta cuja resposta desconhecemos, despertamos para todas as possibilidades. Estamos prontos para receber uma resposta que não gostamos ou com a qual não concordamos? E se a resposta nos deixar desconfortáveis ou nos tirar da área de segurança que construímos para nós mesmos? E se a resposta não for o que desejamos ouvir?


Para fazer uma pergunta não é preciso força; é preciso coragem.


Uma grande pergunta é isso: algo que pode mudar a direção da sua vida.


Portanto, mais uma vez, por que não as fazemos? A maioria das pessoas prefere permanecer na sergurança do que sabe a procurar desafios. (...) Se sempre julgamos conhecer a resposta, como iremos crescer? Como poderemos estar abertos para aprender?


(William Arntz, Betsy Chasse e Mark Vicente em "Quem somos nós?", pág. 3-5, Prestígio Editorial)

1 comentários:

Ellen disse...

Amei o site do seminario, show de site!